Teofrasto: “A humanidade tem uma dívida de justiça para com os animais”

A crítica do filósofo grego serviu como referência ao filósofo dos direitos animais estadunidense Tom Regan (Imagens: Reprodução)

Sucessor de Aristóteles, o filósofo grego Teofrasto (372 a.C 287 a.C), considerado o pai da botânica, defendia, segundo Porfírio em “De Abstinentia”, que a humanidade tem uma dívida de justiça para com os animais porque o futuro da existência como um todo depende do equilíbrio entre humanos e animais, além dos níveis de afinidade – o que naturalmente exige que os seres humanos se abstenham de sacrificá-los e de comê-los.

Para Teofrasto, explorar, torturar ou matar animais significa privá-los de Leia tudo…

Fechar Menu

Fique por dentro!

Receba nossas novidades direto no seu email!
QUERO RECEBER!
Fechar
Fique por dentro!